Cientistas do mundo todo vinham pesquisando uma forma de combater o Alzheimer, e junto de pesquisadores da Universidade da Califórnia, anunciaram a publicação de um estudo sobre uma vacina que pode ser efetiva, tanto que os testes em humanos começaram dentro de um ano, após resultados positivos realizados em ratos de laboratário.

Os resultados, já publicados na revista Alzheimer’s Research & Therapy, relatam que os camundongos foram injetados com a vacina para eliminar o acúmulo das proteínas amilóide e tau, que são diretamente responsáveis ​​pela neurodegeneração, obtendo, como efeito, que a patologia em seus cérebros simplesmente fosse interrompida.

O endocrinologista por trás da vacina, Nikolai Petrovsky, disse ao canal ABC que os testes renderam ótimos e esperançosos resultados, esperando que o próximo passo seja a aplicação em humanos nos próximos meses, tão logo o problema da pandemia seja controlado.

“É um momento empolgante para começar a nova década e, esperançosamente, este é o grande avanço da próxima década, se pudermos fazê-lo funcionar em testes em humanos.”, disse ao canal.

Petrovsky ainda afirmou que a vacina seria por muitos anos o melhor tratamento que a humanidade pode ter para combater o Alzheimer, sobretudo quando comparado com os medicamentos existentes que por enquanto só ajudam a retardar a doença, e mesmo assim sem garantia total de que aconteça.

(Fonte: A Soma de Todos os Afetos com informações do ABC)



Source link

FONTE:

Link Fonte
Autor: Redação Paraná Imprensa
Dominio fonte: paranaimprensa.com.br
2021-02-24 19:21:33
Data – 2021-02-24 19:21:33

Compartilhar