Quer abrir um negócio? Ferramenta ajuda a simular a viabilidade de novos empreendimentos


O grande temor de quem resolve empreender é saber se o novo negócio é viável ou não, se vai ter consumo ou se será apenas mais um no meio de tantos outros. Para ajudar a descobrir o quanto aquela boa ideia pode prosperar, o Sebrae criou uma ferramenta que faz uma simulação real do plano de negócios para testar a viabilidade e a aderência no consumo.

LEIA TAMBÉM – Comum na pandemia, trabalho remoto pode gerar compulsão por produtividade

Com base em uma série de dados como ramo da atividade, tamanho, capital investido, número de funcionários e tipo de produto, entre outros, a ferramenta mostra se o investimento vai valer a pena ou se precisará mudar de rumo. É uma simulação fiel ao que o mercado demanda, que leva tempo e precisa ser feita com muita atenção.

Desde que a ferramenta entrou no ar no início de 2019, já foram feitas mais de 24 mil simulações, sendo 10 mil delas apenas no ano passado. A necessidade de empreender pela perda de emprego durante a pandemia foi um dos principais motivos para este aumento nas consultas.

Segundo Acea Evgueni Ratcheva, consultora do Sebrae Paraná, a simulação ajuda a dar os primeiros passos para a abertura do novo negócio. Ao final, a plataforma apresenta um diagnóstico e o que precisa ser alterado no plano de negócios para ser viável.

LEIA MAIS – Home office instaurado abre caminho para o nomadismo digital

“Essa é uma ferramenta muito simples, rápida e certeira de saber se o plano de negócios está sendo montado como deve ser. Ela é um apoio importante tanto para quem está começando como para quem já tem um negócio próprio mas abriu sem o devido planejamento”, explica.

A ferramenta de viabilidade testa os novos negócios nos setores de indústria, serviços, comércio e comércio e serviços juntos. Apesar de ser uma simulação real, a plataforma não dispensa outros tipos de análises, como o local onde o negócio será instalado, o produto a ser vendido, etc.

Regime de tributação

Além de mostrar a viabilidade do negócio, o sistema também indica qual o melhor regime de tributação para a atividade, como Microempreendedor Individual (MEI), Simples Nacional, lucro presumido, entre outros. Por isso, é necessário que o futuro empreendedor reserve um tempo na sua rotina para fazer a simulação – quanto mais dados, mais certeira será a simulação.

“Para quem está começando, não são perguntas fáceis de responder, mas ele em que ter uma noção do que pretende com o negócio próprio. O sistema vai indicar até mesmo se o futuro empreendimento não tem nenhuma viabilidade”, diz.

VIU ESSA? Greve dos caminhoneiros: entenda em cinco pontos as causas para uma paralisação no dia 1º

Um levantamento recente do Sebrae identificou os 26 negócios mais pesquisados no sistema, como distribuidora de bebidas, hamburgueria, produção de alimentos congelados, padaria e refeições em marmita entre os voltados à alimentação. Só no segundo quadrimestre de 2020, último dado disponibilizado pelo Ministério da Economia, foram mais de 21 mil novos negócios deste segmento.

Luciana Macedo, consultora do Sebrae, conta que a procura por orientações vem crescendo desde o início do segundo semestre do ano passado. Para ela, são empreendedores que veem a área de alimentação como um ramo promissor.

“No geral, são áreas que conseguiram manter uma certa regularidade neste período, seja pela facilidade para atender a demanda de consumo em casa, como alimentos e bebidas, ou pela possibilidade de um trabalho remoto, como é o caso do escritório de consultoria”, diz.

Ferramenta simulação
A ferramenta faz uma simulação real da viabilidade do novo negócio. Foto: Reprodução

Para Acea Evgueni Ratcheva, tão importante quanto enxergar o ramo ideal de atuação é conseguir antever se o negócio será sustentável ou não. A ferramenta que simula a viabilidade serve também para identificar o ponto de equilíbrio da operação.

LEIA TAMBÉM – Vacinação contra covid-19 em Curitiba começa no dia 20 de janeiro, confirma Greca

“Que é quando o negócio não dá lucro e nem prejuízo, ou seja, em que o empreendedor não precisa fazer mais aportes financeiros para manter a operação aberta. Este é o principal ponto que difere os negócios que vão para frente daqueles que não foram bem planejados”, completa.

A ferramenta de viabilidade do Sebrae pode ser acessada neste link. A consulta é gratuita e pode ser feita sem limite.

FONTE:

Link Fonte
Autor:
Dominio fonte: www.tribunapr.com.br
2021-01-14 13:10:23
Data – 2021-01-14 13:10:23