Paraná segue como área livre de aftosa


Paraná segue como área livre de aftosa
Foto: Gilson Abreu/AEN

Mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus, o Paraná conseguiu manter o cronograma para o reconhecimento internacional como área livre de febre aftosa sem vacinação. A confirmação aconteceu no dia 17 de dezembro, durante a oitava reunião da equipe gestora nacional do plano estratégico do programa nacional de vigilância da febre aftosa.

O reconhecimento do Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação está na reta final. Todos os documentos necessários já foram encaminhados à OIE, que faz as últimas checagens do material.

É preciso lembrar que nos últimos dois anos o território paranaense passou por diversas auditorias e avaliações do Ministério da Agricultura antes que a pasta encaminhasse os detalhes que demonstram a robustez do sistema sanitário estadual. Com isso, o setor aguarda o anúncio oficial da OIE.

Além do pedido para se tornar área livre de febre aftosa sem vacinação, o PR solicitou também reconhecimento de forma separada de outros estados como área livre de peste suína clássica (PSC).

Hoje o estado faz parte de um bloco de 14 unidades da federação. Caso uma delas, mesmo que a milhares de km, apresente casos de PSC, o Paraná, 2º maior produtor nacional de suínos, seria impactado.


Em 2020, o agronegócio brasileiro apresentou um saldo positivo de 87,76 bilhões de dólares em sua balança comercial. A diferença entre o que o país importou e exportou no ano passado, mostra um aumento de 5,6% na comparação com 2019. O complexo soja, grão, óleo e farelo foi o principal produto da pauta exportadora do campo, com 35,24 bilhões de dólares. As exportações do grão representaram 81% do valor vendido ao exterior.

Rose Machado e Sérgio Mendes


Produtores de mandioca devem retomar comercialização

FONTE:

Link Fonte
Autor: CBN
Dominio fonte: cbncuritiba.com
2021-01-14 06:00:00
Data – 2021-01-14 06:00:00