O Paraná é líder na produção nacional de feijão. De acordo com levantamento do Deral/Seab, na safra 2019/20, a produção total foi de mais de 580 mil toneladas, o que contribui para que o Brasil se coloque na terceira posição mundial com a marca de 3 milhões de toneladas ao ano, em média.  Um fator importante para a alta produção e produtividade no Paraná é a qualidade das sementes. Elas são certificadas, apresentando pureza genética e física para o bom desempenho da lavoura.

A pureza genética possibilita a manutenção das características originais da variedade, enquanto a pureza física comprova que não contém misturas com outras partículas de impurezas ou sementes de invasoras. São as sementes certificadas que garantem que a lavoura possa expressar plenamente seu potencial de rendimento. Além de ter a rastreabilidade assegurada por lei, pois desde o início de sua produção até o consumidor final é possível identificar cada lote colocado à disposição do mercado. A utilização de sementes não certificadas, conhecidas como “piratas”, é fator de alto risco para as lavouras.

Segundo a Associação Brasileira de Sementes e Mudas, os prejuízos causados pela utilização desses produtos são de mais de dois bilhões e quatrocentos milhões ano ao Brasil e de cerca de 220 milhões de reais ao Paraná. No Paraná, a Adapar, a Agência de Defesa Agropecuária é a instituição que trabalha em defesa dos agricultores. A certificação da atividade de produção de sementes e mudas no Brasil é responsabilidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Caso alguém se sinta vítima de fraude na compra de grãos em lugar de sementes há um canal de denúncia no Ministério. As reclamações são encaminhadas diretamente às superintendências estaduais. O Dia Mundial do Feijão será comemorado no dia 10 de fevereiro.

Reportagem: Taís Santana



Source link

FONTE:

Link Fonte
Autor: Band News Curitiba – 96,3 FM
Dominio fonte: bandnewsfmcuritiba.com
2021-02-08 18:18:46
Data – 2021-02-08 18:18:46

Compartilhar