Motorista que matou criança atropelada na Rodovia da Uva pede desculpas | Correio dos Campos


O motorista que atropelou e matou Yohana Gabrielly Fernandes Pereira, de 5 anos, na Rodovia da Uva, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, declarou que lamenta pelo ocorrido e pediu perdão à família da criança durante entrevista concedida à RIC Record TV.

Luiz Henrique dos Santos, de 28 anos, fugiu do local do acidente na noite de 2 de janeiro sem prestar socorro à vítima. Ele só se apresentou na delegacia na última sexta-feira (9), depois que seu carro foi localizado em uma oficina mecânica da capital.

“É difícil falar alguma coisa para eles. Não tem o que falar, é só pedir desculpas. Eu me apresentei para pagar pelo meu erro e estou à disposição da Justiça. Foi um acidente. Acho que ninguém sai de casa para fazer isso, foi uma coisa que aconteceu e agora tem que esperar a Justiça decidir o que vai ser feito”, disse Luiz Henrique.

À polícia, Luiz assumiu o atropelamento, mas negou que transitava em alta velocidade no momento da colisão. Por outro lado, testemunhas que prestaram depoimento afirmaram que o veículo estava em velocidade incompatível com a via, o que foi confirmado por câmeras de segurança.

“Alegou que não estava em alta velocidade. Isso não corresponde à verdade, mas é a alegação dele. E alegou que percebeu que tinha atropelado uma criança, chegou em casa, contou para a tia o que estava acontecendo. Mas achava ele que ela não tinha entrado em óbito”, explicou o delegado Irineu Portes.

Sobre a omissão de socorro, Luiz Henrique declarou que não parou o veículo porque estava acompanhado de sua esposa e do filho de um ano. Além disso, na sequência, seus familiares teriam impedido que ele voltasse ao local.

“Eu estava com a minha mulher e meu filho dentro do carro. Minha mulher começou a gritar desesperada, meu filho começou a chorar e eu vim até a minha casa para deixar pelo menos o meu filho para poder voltar. Cheguei em casa, a minha tia viu o desespero, falou comigo, não deixou eu voltar. Na hora, ela falou que ia para lá e minha prima estava aqui e se ofereceu para ir lá prestar uma ajuda ou um socorro”, disse Luiz Henrique.

Em conversa com a RIC Record TV, a avó de Yohana já havia declarado anteriormente que o fato do motorista não ter parado o veículo é o que mais choca a família da menina.

“Para mim ele não é um ser humano. Ele é uma pessoa fria. Qualquer pessoa poderia ter acontecido de ele ter feito o que ele fez, mas ele deveria ter voltado no lugar e tentado, pelo menos, amenizar o erro que ele cometeu”, desabafou a avó.

Luiz Henrique deverá ser indiciado pelos crimes de homicídio, omissão de socorro e fraude processual porque tentou consertar o carro antes de entregá-lo à perícia. Ele foi responde em liberdade.

Nesta terça-feira (13), a Polícia Civil, informou ainda que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de Luiz Henrique está suspensa.

O caso segue em investigação.

Fonte: Ricmais

FONTE:

Link Fonte
Autor: Correio dos Campos
Dominio fonte: correiodoscampos.com.br
2021-01-13 14:58:40
Data – 2021-01-13 14:58:40