Mais que máscara e álcool gel: 8 dicas práticas para se prevenir do coronavírus


Muito além do uso da máscara, do distanciamento social e da higienização das mãos com álcool em gel ou água e sabão, a prevenção do coronavírus também deve ser feita diariamente, a partir de novos hábitos. Há mais de 10 meses de pandemia, entre casos leves a mortes, as medidas de prevenção devem continuar na rotina.

Para relembrar todos os pequenos cuidados no combate ao coronavírus, a Fundação de Asseio e Conservação, Serviços Especializados e Facilities (FACOP) preparou dicas para manter os ambientes livres e seguros da covid-19. Confira as orientações do coordenador dos cursos de limpeza profissional da FACOP, Mário Guedes:

LEIA TAMBÉM Produtos de limpeza que podem ajudar a proteger sua casa do coronavírus

1- Vai falar ao celular? Retire a máscara

O indicado é não falar ao telefone de máscara, isso porque a parte externa da máscara – onde existe a contaminação – pode tocar no aparelho. Sempre que precisar usar o aparelho, higienize as mãos, tire a máscara, higienize as mãos de novo e use o telefone. Não se esqueça também de higienizar com frequência o celular – nesse caso, use álcool isopropílico.

2 – Continue desinfetando as compras

Às vezes pode ser chato e até cansativo, mas continuar higienizando as embalagens e compras que vem do supermercado ainda é uma medida que não deve deixar de ser feita em tempos de pandemia. Latas e pacotes impermedáveis podem ser lavados com água e sabão ou deixados de molho, numa solução com água sanitária.

“Não esqueça também de deixar um espaço separado no carro para colocar apenas as compras, de preferência o porta-malas”, sugere o profissional.

3 – Atenção especial para maçanetas e corrimãos

Teoricamente sua casa está livre do vírus, a menos que você a contamine. Todas as superfícies de toque frequente, como maçanetas, corrimãos, teclados de computador, precisam ser higienizadas depois de tocadas. É importante também que as mãos sejam higienizadas antes de encostar nessas superfícies. 

Uma dica é arrumar um espaço para separar uma ‘área suja’, onde devem ser deixados calçados, compras e roupas que chegam da rua”.

Animais de estimação também precisam ter suas patinhas higienizadas antes de entrar em casa. Mas lembre-se, não se deve usar álcool em gel na pele dos animais e sim um produto higiênico próprio para os bichanos.

4 – Espaço de trabalho

Se você não está de home office, precisa ficar atento ao local onde trabalha, principalmente se o volume de pessoas que transitam no lugar é grande. Uma boa estratégia e evitar ficar trocando de bolsa e sempre que chegar em casa, higienize a peça. A descontaminação deve acontecer também em outros acessórios como chave do carro, sacolas, etc.

“Não adianta tirar a mochila e colocar no chão do carro, onde você pisou ou colocou as compras. Depois, levar a mochila para o espaço de trabalho. Tudo o que entra nesse espaço pode ser contaminante como a chave de carro, mochilas, bolsas, sacolas, entre outros”, alerta Guedes.

Dinheiro. Foto: Marcelo Andrade / Gazeta do Povo / Arquivo

5 – Dinheiro e cartões

Dinheiro, cartões e outras formas físicas de pagamento são grandes fontes de contaminação. Por esse motivo, é preciso higienizar as mãos antes e depois de pegar nas cédulas ou cartões. ”O papel retém o coronavírus por um longo período de tempo. Há pesquisas que falam em 48 horas, 72 horas ou até mais tempo, como uma semana”, revela Guedes.

Ao utilizar o cartão, é sempre necessário higienizá-lo antes de colocar de volta na carteira. “No entanto, cuidado com o produto a ser utilizado para isso, porque produtos corrosivos, como o cloro, comprometem o chip. O melhor é usar desinfetante de uso geral e, em seguida, após o tempo de ação indicado pelo fabricante do produto, secar o objeto. Ou então usar um lenço umedecido desinfetante”, ensina o especialista.

6 – Uso e lavagem de máscaras

Embora as máscaras já façam parte do cotidiano da maioria das pessoas, muita gente ainda não sabe a forma correta de usá-la e, principalmente, de fazer a higienização dessas peças. É preciso lavar as máscaras com detergente neutro e, se possível, deixar um tempo de molho no desinfetante antes de enxaguar e colocar para secar.

7 – Contaminação no carro

Da mesma forma que a residência, o carro está livre do coronavírus até que alguém o contamine. Se abrir a porta e tocar no volante, no câmbio, no rádio, entre outros lugares, sem higienizar as mãos, a pessoa está espalhando contaminação nessas superfícies.

As maçanetas do carro e do porta-malas, bem como a chave do veículo, têm que ser higienizadas antes de entrar no carro.

8 – Cuidado redobrado em espaços coletivos

Os espaços pelos quais passam muitas pessoas todos os dias oferecem muitos riscos de contaminação. Nesses lugares, não se pode abrir mão do distanciamento social e da máscara.

Em restaurantes, só se deve retirá-la na hora de comer, mas atenção: não a coloque sobre a mesa. A forma correta de fazer isso é colocá-la em um pacotinho, um saquinho de plástico. Ao final da refeição, higienize as mãos e coloque uma máscara limpa, segundo recomendação do especialista.

FONTE:

Link Fonte
Autor:
Dominio fonte: www.tribunapr.com.br
2021-01-13 13:19:52
Data – 2021-01-13 13:19:52