G1
Nesta segunda-feira, 29 de junho, o caso Miguel ganhou mais um capítulo. A mãe do garoto decidiu ir até à porta da delegacia no Recife, no estado do Pernambuco. No local, a patroa dela, Sarí Côrte Real deu um depoimento aos investigadores. do caso. O principal objetivo da polícia é entender como o garoto caiu do nono andar de um prédio de um bairro nobre da grande Recife. 

Dona Mirtes, ficou do lado de fora durante todo o depoimento. Ela queria ficar cara a cara com Sarí, que foi escoltada pela polícia para evitar jornalistas, populares e a própria mãe do menino Miguel. 

“Ela não demonstrou arrependimento nenhum. Ela é um monstro, uma pessoa fria e calculista”, disse Mirtes do lado de fora da delegacia, mostrando toda a sua raiva diante do acontecimento.

Mais cedo, Mirtes disse que ia esperar a ex-patroa sair do local para falar com ela. Segundo a empregada doméstica, ela precisava “dizer uma verdade na cara dela” . A mãe do menino Miguel contou ainda que a Sarí não chegou mesmo a pedir desculpas por tudo o que aconteceu. 

Menino foi deixado por patroa andando sozinho no prédio

O caso Miguel acabou tendo grande repercussão porque a patroa não cuidou do filho da empregada. Ela deveria olhar o garoto por alguns instantes, enquanto Mirtes passeava com os cachorros da família. Câmeras de segurança mostram o momento em que Sarí vê o menino no elevador do prédio onde morava. O garoto acabou subindo de elevador até o nono andar do prédio e, na sequência, pendurou-se em um ar condicionado e caiu.


Publicidade



Source link

Compartilhar