O trânsito de veículos na Serra da Graciosa ficará proibido a partir desta quarta-feira (30) até o dia 3 de janeiro de 2021, das 9h às 16h, para evitar as aglomerações no trecho entre Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, e o Litoral do Paraná. A medida foi divulgada nesta terça-feira (29) pelas secretarias de da Segurança Pública (Sesp) e da Saúde (Sesa).

A restrição será em pontos desde o Portal da Graciosa até o Trevo São João da Graciosa. Segundo o governo do Paraná, a ação conjunta serve para prevenir o avanço no contágio do coronavírus (covid-19) e leva em conta o grande número de veículos que circulam na região nesta época do ano.

+Leia mais! Que tal R$ 300 milhões na conta? Mega da Virada agita curitibanos em lotéricas

De acordo com o governo, também foi levada em consideração a análise da Defesa Civil sobre as atuais condições climáticas, com possibilidades de chuvas intensas nesta época do ano na região. Se ocorrer, pode haver enxurradas, alagamentos, tornando o trânsito perigoso na via.

A medida, no entanto, não se aplica para veículos de emergência, veículos dos moradores dos municípios de Quatro Barras, Morretes, Antonina e Guaraqueçaba. Além disso, será permitida a passagem de veículos de entregas para moradores dos municípios da região, os quais deverão comprovar essas situações.

+Atenção! Trabalhador pode solicitar saque de R$ 1.045 do FGTS até quinta

Para o secretário de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, a medida é importante devido às aglomerações ocorridas na descida da serra, na beira dos rios, principalmente às margens dos rios São João e Nhundiaquara. “Com a prorrogação do decreto que limita a circulação de pessoas, continua valendo a orientação da não aglomeração, do uso de máscara e, naquela região, observamos que os espaços são pequenos e muito procurados pelos turistas, o que acaba agrupando pessoas e pode contribuir para a propagação da doença”, explicou.

Ainda de acordo com o secretário, o objetivo da ação é auxiliar a diminuir a utilização da estrada. “Sabemos que muitas famílias, grupos de amigos descem ao Litoral juntos pela Graciosa e param em pontos da estrada para fazer churrasco ou confraternizar. Com essa medida temporária, evitamos a possibilidade de circulação do vírus também, em razão de eventuais aglomerações que o ponto turístico nos oferece”, explicou.

Já o secretário da Saúde, Beto Preto, pede a colaboração da população por causa da pandemia. “Quem descer ao Litoral, que faça por outros caminhos neste momento”.

O coordenador da Defesa Civil do Paraná, coronel Fernando Schunig, disse que a região litorânea do estado, historicamente, sofre com as chuvas no período de verão. Ele defendeu que Morretes e Antonina são regiões montanhosas com uma formação geológica que apresenta riscos e histórico de deslizamentos graves, inclusive com óbitos registrados. “Dessa forma, não se pode afirmar que o risco não existe, e com a possibilidade da ocorrência de novas pancadas de chuva, existe a probabilidade de uma elevação do nível de risco da região”, apontou Schunig, ressaltando que o atual momento é de intenso tráfego na região. “A necessidade de salvaguardar vidas dos paranaenses e turistas que transitam pelo local pede uma medida protetiva”.

FONTE:

Link Fonte
Autor:
Dominio fonte: www.tribunapr.com.br
2020-12-29 11:27:04
Data – 2020-12-29 11:27:04

[BL]MP3, iPod, celulares, notebooks, cameras [/BL]

Compare Preços de: MP3, iPod, celulares, notebooks, cameras no Buscapé.

Compartilhar