Começa julgamento de acusado de matar advogada, em Guarapuava


Após ser adiado por duas vezes, começa nesta quarta-feira (10), no Fórum de Guarapuava, o julgamento do professor de biologia Luis Felipe Manvailer, acusado de matar a advogada Tatiane Spitzner.

Tatiane Spitzner foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho de 2018, dentro do apartamento onde morava com Manvailer, no centro de Guarapuava.

O Ministério Público do Paraná afirma que a advogada foi morta ainda dentro do apartamento e depois teve o corpo jogado da sacada pelo marido.

Imagens de câmeras de segurança mostraram, minutos antes da morte, a advogada sendo agredida dentro do carro, na garagem e no elevador no prédio.

Manvailer é acusado por homicídio qualificado por motivo fútil, morte mediante asfixia e feminicídio. Ele também responde por fraude processual, pois, segundo a acusação, teria removido o corpo da vítima do local e limpado vestígios de sangue deixados no elevador.

O professor de biologia foi preso no mesmo dia da morte da advogada, após bater o carro enquanto tentava fugir para o Paraguai.

Para o advogado assistente de acusação, Gustavo Scandelari, que representa a família de Tatiane Spitzner, o júri deve confirmar o que o Ministério Público sempre afirmou, que Luis Felipe Manvailer matou a mulher.

Já o advogado Cláudio Dalledone Júnior, que defende o professor de biologia, afirma que o réu é inocente do crime de feminicídio e que isso será provado durante o julgamento.

Nesta terça-feira (9), a defesa de Manvailer tentou adiar o julgamento com a justificativa de que era preciso mudar o local, pois, haveria imparcialidade na composição do júri. No entanto, o desembargador Paulo Edison de Macedo Pacheco, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), negou o pedido.

No julgamento, primeiro devem ser ouvidas as testemunhas de defesa e de acusação. Depois, será a vez de Luis Felipe Manvailer ser interrogado. Após a etapa das oitivas serão abertos os debates. Neste momento, devem falar os representantes do Ministério Público do Paraná (MP-PR), acusação e defesa, e ocorrem as réplicas e tréplicas entre as partes.

Ao final, o conselho de sentença, composto por sete jurados, deve se reunir para votar o veredito e, então, o juiz deve fazer a leitura e apontar a sentença do réu.

Repórter William Bittar


Bancos fecham no feriado de Carnaval

FONTE:

Link Fonte
Autor: CBN
Dominio fonte: cbncuritiba.com
2021-02-10 07:43:54
Data – 2021-02-10 07:43:54