O Brasil registrou 461 novas mortes pela Covid-19 e 22.097 casos da doença, neste sábado (17). Com isso, o país chegou a 153.690 óbitos e a 5.223.667 pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Além dos dados diários do consórcio, a Folha de S.Paulo também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 493, o que representa um cenário de queda em relação à média de 14 dias atrás. Recentemente, o país chegou a estar em situação de queda da média, mas, em seguida, retornou ao patamar de estabilidade dos dados de mortes.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O Brasil tem uma taxa de 73,2 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos (218.448 ), e o Reino Unido (43.519 ), ambos à frente do Brasil na pandemia (ou seja, começaram a sofrer com o problema antes), têm 66,9 e 65,5 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

O país também já ultrapassou a taxa da Itália de mortes por 100 mil habitantes (60,3). O boletim do Ministério da Saúde deste sábado também mostrou que o Brasil registrou 461 novas mortes em decorrência do novo coronavírus nas últimas 24 horas. O país agora contabiliza um total de 153.675 óbitos desde o início da pandemia, nas contas do governo federal.

O balanço do governo aponta 24.062 novos casos, totalizando 5.224.362 registros da doença no país. Entre os estados, São Paulo ainda soma o maior número total de registros –são 37.992 mortes e 1.062.634 casos até este sábado. Em seguida na lista, com relação a mortes, aparecem os estados do Rio de Janeiro (19.715), Ceará (9.207) e Pernambuco (8.480).

Os dados mostram ainda que há 4.635.315 pessoas recuperadas da doença e 2.302 mortes em investigação. A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.



Source link

Compartilhar