Bolsonaro desdenha de vacina e enaltece ‘kit Covid’ um dia após CPI lhe atribuir 9 crimes na pandemia -.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender nesta quinta-feira (21) o uso de medicamentos ineficazes contra a Covid e desdenhou da eficácia das vacinas para o enfrentamento da doença que já matou mais de 600 mil pessoas no país.

“Eu também fui acometido [pela Covid], tomei hidroxicloroquina, no dia seguinte estava bom. Será que é porque é barato? Ainda continua em interrogação o tratamento”, disse Bolsonaro durante evento de inauguração de trecho da Transposição do Rio São Francisco, em São José de Piranhas, na Paraíba.

As falas do presidente ocorreram um dia após a leitura do relatório da CPI da Covid no Senado, elaborado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL). O documento será votado na próxima semana pela comissão.

O parecer do relator aponta Bolsonaro como um dos principais responsáveis pelo agravamento da crise sanitária e sugere que o presidente seja responsabilizado e investigado por nove crimes na pandemia, entre eles um contra a humanidade.

Bolsonaro desde o início da disseminação do novo coronavírus tem falado e agido em confronto com as medidas de proteção, em especial a política de isolamento da população. O presidente, por exemplo, já usou as palavras histeria e fantasia para classificar a reação da população e da mídia à doença.

Além dos discursos, Bolsonaro assinou decretos para driblar decisões estaduais e municipais, manteve contato com pessoas na rua e vetou o uso obrigatório de máscaras em escolas, igrejas e presídios -medida que acabou derrubada pelo Congresso. Até hoje ele não se vacinou contra a Covid.

No discurso desta quinta-feira, além de defender o ‘kit Covid’ e atacar Renan, Bolsonaro pôs em xeque a eficácia das vacinas contra a Covid e criticou medidas de estados e municípios que têm exigido comprovante de vacinação para entrada em espaços públicos e privados nas flexibilizações da pandemia.

“Temos governadores e prefeitos exigindo passaporte vacinal. O nosso ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, mesmo vacinado com a segunda dose, contraiu a Covid. Outras pessoas da minha comitiva que estavam vacinadas com a segunda dose contraíram o vírus. É uma grande interrogação a Covid-19”, disse.

Segundo especialistas em saúde, o principal objetivo das vacinas é evitar as mortes por Covid após a vacinação completa, ou seja, aqui no Brasil duas doses de Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer ou a dose única da Janssen.

Os imunizantes ainda reduzem as chances de contaminação pela doença e também de mortes provocadas pela Covid.

Desde o surgimento das vacinas, Bolsonaro tem feito críticas aos imunizantes. Nesta quinta, na Paraíba, ele reafirmou que não foi vacinado.

“Ofertamos a todos do Brasil a oportunidade de todos se vacinarem. Isso não quer dizer que a vacina seja obrigatória. Jamais defenderemos isso. Eu não tomei a vacina, quem quiser seguir meu exemplo que siga, quem não quiser que não siga, isso é liberdade.”

“Dizem que quem se contaminou tem mais anticorpos do que quem se contaminou por que tomar vacina? Se eu quiser tomar lá na frente, eu tomo. Mas meu governo ofereceu vacina para toda a população, espero que ele seja eficiente”, acrescentou.

No discurso de improviso, Bolsonaro atacou Renan pelo relatório e aproveitou o discurso para acenar ao senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, que tem evitado pautar desde agosto a sabatina de André Mendonça, indicado por Bolsonaro para o STF (Supremo Tribunal Federal).

“Por que sou atacado 24 horas por dia? Onde eu errei? Relatório da CPI comandada por Renan Calheiros. Não chamem Renan de vagabundo, isso é elogio para ele. Não há maracutaia lá em Brasília que não esteja o nome do Renan envolvido.”

“Esteve na [Presidência do] Senado por dois anos o senador Davi Alcolumbre. E quem disputou a eleição com ele em 2019, Renan Calheiros. Imagine que desgraça estaria o Brasil dado ao que ele ia exigir para aprovar qualquer coisa naquela Casa, porque ele é o dono da pauta.”

Em 2019, Davi Alcolumbre venceu Renan Calheiros na eleição para a presidência do Senado em uma vitória para Bolsonaro na ocasião. A candidatura do senador do Amapá era patrocinada pelo então ministro da Casa Civil de Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, hoje ministro do Trabalho.

“Com Davi Alcolumbre, não tive problemas no Senado. Quase tudo que precisamos aprovamos lá, agradeço ao Davi por esses dois anos que ele esteve à frente do Senado. Se não estaria lá, Renan Calheiros, que, apesar de ser nordestino, nunca fez nada pelo Nordeste, nem pelo seu estado Alagoas”, afirmou Bolsonaro na Paraíba.

“Temos na maioria dos senadores pessoas de bem, mas não adianta ter boa tropa se o comandante não corresponde”, disse Bolsonaro.

O aceno de Bolsonaro a Alcolumbre ocorre em meio a um impasse para a sabatina de André Mendonça. Nos bastidores, o senador tem sinalizado preferência pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para o STF em detrimento a Mendonça.

Alcolumbre tem usado a prerrogativa de presidente da CCJ para não pautar a sabatina, primeiro passo da tramitação da nomeação de indicados para o STF.

As outras etapas são as votações na comissão e no plenário do Senado. Para ser confirmado como ministro do Supremo, o indicado precisa ter aval de maioria simples dos senadores, ou seja, 41 votos.

Bolsonaro participou da inauguração da obra do trecho final do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, em São José de Piranhas.

O trecho inaugurado tem oito quilômetros de extensão e liga os reservatórios Caiçara, em São José de Piranhas, ao Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras, também no sertão da Paraíba.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional, o investimento na obra foi de R$ 49,7 milhões.

Bolsonaro estava acompanhado dos ministros Braga Netto (Defesa), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral), Gilson Machado (Turismo), Onyx Lorenzoni (Trabalho) e Marcelo Queiroga (Saúde), que é paraibano, além do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo no Senado, e de deputados federais e estaduais aliados.

A transposição do Rio São Franscisco, considerada uma importante obra hídrica do Nordeste, foi iniciada no governo Lula (PT) e teve trechos inaugurados ao longo das gestões de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB) e agora por Bolsonaro.

Desde o início de outubro, Bolsonaro tem cumprido agendas no interior de estados do Nordeste acompanhado pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para inaugurar obras hídricas. O périplo foi batizado de Jornada das Águas” pelo Palácio do Planalto.

A estratégia do presidente é uma tentativa de se contrapor ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, provável adversário de Bolsonaro nas eleições de 2022, em uma região que é reduto político do petista.

FONTE:

Link Fonte
Autor: José Matheus Santos – Folhapress
Dominio fonte: paranaportal.uol.com.br
Data – 2021-10-21 18:42:39

[BL]games, PS2, PS3, Nintendo, Wii, iPod[/BL]

Compare Preços de: games, PS2, PS3, Nintendo, Wii, iPod no Buscapé.

Compartilhar